Resultados exatos
Buscar em títulos
Buscar no conteúdo
Buscar em posts
Buscar em páginas
Filtrar por categorias
+ Natureza
Abandonados
Banner
Cachoeiras
Cachoeiras em Baependi
Cachoeiras em Biritiba Mirim
Cachoeiras em Boiçucanga
Cachoeiras em Bueno Brandão
Cachoeiras em Cubatão
Cachoeiras em Ilha Grande
Cachoeiras em IlhaBela
Cachoeiras em Joanópolis
Cachoeiras em Maromba
Cachoeiras em MG
Cachoeiras em Mogi das Cruzes
Cachoeiras em Paranapiacaba
Cachoeiras em Petrópolis
Cachoeiras em Prudentópolis
Cachoeiras em São Bernardo
Cachoeiras em São José do Barreiro
Cachoeiras em São Sebastião
Cachoeiras em São Thomé das Letras
Cachoeiras em SP
Cachoeiras em Tabuleiro
Cachoeiras em Visconde de Mauá
Cachoeiras em Votorantim
Cachoeiras na Bahia
Cachoeiras na Chapada Diamantina
Cachoeiras no Alto Caparaó
Cachoeiras no Espírito Santo
Cachoeiras no Paraná
Cachoeiras no Rio de Janeiro
Camping
Campings em Bertioga
Cata Lixo
Cavernas
Curiosidades
Dicas
Doação de Sangue
Economizar para viajar!
Entretenimento
Equipamentos
Fazendo o Bem
Grutas em São Sebastião
Grutas em São Thomé das Letras
Grutas na Chapada Diamantina
Iniciantes
Legais
Livros
Mergulho Livre
Montanhas
Montanhas em Aiuruoca
Montanhas em Atibaia
Montanhas em Baependi
Montanhas em Biritiba Mirim
Montanhas em Cunha
Montanhas em Espirito Santo
Montanhas em Extrema
Montanhas em Guarulhos
Montanhas em Ilhabela
Montanhas em Mairiporã
Montanhas em Minas Gerais
Montanhas em Mogi das Cruzes
Montanhas em Monte Verde
Montanhas em Passa Quatro
Montanhas em Petrópolis
Montanhas em Piquete
Montanhas em São Bento do Sapucaí
Montanhas em São José do Barreiro
Montanhas em São Paulo
Montanhas em São Thomé das Letras
Montanhas em Ubatuba
Montanhas em Visconde de Mauá
Montanhas na Bahia
Montanhas na Chapada Diamantina
Montanhas na Cidade de São Paulo
Montanhas na Lapinha da Serra
Montanhas no Alto Caparaó
Montanhas no Itatiaia
Montanhas no Rio de Janeiro
Outros
Paranapiacaba
Pedal
Plaquinhas do Bem
Poços Cristalinos
Praias
Praias em Bertioga
Praias em Ilha Grande
Praias em IlhaBela
Praias em Peruíbe
Praias em São Paulo
Praias em São Sebastião
Praias em Ubatuba
Praias no Guarujá
Praias no Rio de Janeiro
Queluz
Relatos
Roteiros
Segurança
Sustentabilidade
Travessias
Travessias em Cubatão
Travessias em Minas Gerais
Travessias em Mogi das Cruzes
Travessias em Paranapiacaba
Travessias em Passa Quatro
Travessias em Petrópolis
Travessias em São Bernardo
Travessias em São José do Barreiro
Travessias em SP
Travessias em Teresópolis
Travessias no Rio de Janeiro
Trilhas
Trilhas em SP
{ "homeurl": "http://coconomato.com.br/", "resultstype": "vertical", "resultsposition": "hover", "itemscount": 4, "imagewidth": 70, "imageheight": 70, "resultitemheight": "70px", "showauthor": 0, "showdate": 1, "showdescription": 1, "charcount": 3, "noresultstext": "Sem resultados:", "didyoumeantext": "Você quis dizer?", "defaultImage": "http://coconomato.com.br/wp-content/plugins/ajax-search-lite/img/default.jpg", "highlight": 0, "highlightwholewords": 1, "scrollToResults": 0, "resultareaclickable": 1, "defaultsearchtext": "", "autocomplete": { "enabled" : 1, "lang" : "en" }, "triggerontype": 1, "triggeronclick": 1, "redirectonclick": 0, "trigger_on_facet_change": 1, "settingsimagepos": "left", "hresultanimation": "fx-none", "vresultanimation": "fx-none", "hresulthidedesc": "1", "prescontainerheight": "400px", "pshowsubtitle": "0", "pshowdesc": "1", "closeOnDocClick": 1, "iifNoImage": "description", "iiRows": 2, "iitemsWidth": 200, "iitemsHeight": 200, "iishowOverlay": 1, "iiblurOverlay": 1, "iihideContent": 1, "iianimation": "1", "analytics": 1, "analyticsString": "busca-{asl_term}", "redirectonclick": 0, "redirectClickTo": "results_page", "redirect_on_enter": 0, "redirectEnterTo": "results_page", "overridewpdefault": "0" }

Travessia Marins Itaguaré mais uma Travessia sobre as Nuvens – SP

A Travessia Marins Itaguaré mais uma Travessia sobre as Nuvens – SP é uma das mais lindas e tradicionais travessias de montanhas do estado devido a sua gigantesca beleza. Veja abaixo todas informações sobre a Travessia Marins Itaguaré.

Veja outras Montanhas em Passa Quatro e mais Montanhas em Minas Gerais.

Travessia Marins Itaguaré

Travessia Marins Itaguaré

Obrigações com o Meio Ambiente na Travessia Marins Itaguaré

  • Leve seu lixo
  • Recolha lixo se for possível
  • Não use drogas ou bebidas alcoólicas para diminuir o risco de acidentes
  • Faça suas necessidades  no mínimo 50 metros de distância de rios e nascentes

Informações da Travessia Marins Itaguaré

Travessia Marins Itaguaré Caminho

Travessia Marins Itaguaré Caminho

  • Cidade: Entrada na cidade de Piquete, Saída na cidade de Passa Quatro – MG e também pela cidade de Cruzeiro -SP.
  • Custo de ônibus: Passagem de ônibus ida e volta saindo de SP: R$42,85 ida e R$40,45 volta pela Viação Cometa + Ônibus local de Lorena para Piquete valor R$4,50 ida + R$4,50 volta e + o custo do transporte de Piquete até o acampamento base do Pico dos Marins que custa + R$100,00 (pode dividir por 4) e o resgate no final da travessia até a cidade de Piquete que custa R$200,00 (dividido até 7 pessoas na Van)
  • Custo de carro: R$170 de Gasolina + Pedágio ida e volta, saindo de São Paulo para o acampamento base do Pico dos Marins.
  • Dificuldade Física: Difícil
  • Dificuldade de Navegação: Difícil
  • Tipo do terreno: Rochoso e vegetação de montanha
  • Quantos KM: aproximadamente 31 km
  • Quanto tempo: a Travessia Marins Itaguaré é feita tradicionalmente em 3 dias porém corredores de montanha fazem em apenas um dia.
  • Altitude acima do nível do mar: Ponto máximo 2420 metros (Pico dos Marins) porém você passa por inúmeros picos com altitude maior que 1800 metros.
  • Época boa para visitação: Abril a Setembro (inverno)
  • Exige técnicas de escalada: Não
  • Exige equipamentos de escalada: Não, mas é bom levar uma corda de pelo menos 15 metros.

Segue abaixo as informações detalhadas para fazer a Travessia Marins Itaguaré

Como chegar no início da Travessia Marins Itaguaré

Halo Lunar na Travessia Marins Itaguaré

Halo Lunar na Travessia Marins Itaguaré

  • De ônibus: descendo em Piquete encontre o Resgate no local marcado e ele os levará até o acampamento base do Pico dos Marins
  • De carro: Passando por Piquete siga a estrada por mais alguns quilômetros sentido Vila dos Marins. A subida possui inúmeras curvas perigosas. (em época de chuva só carros 4×4 conseguem subir pela Vila dos Marins).
  • De carro 2: Se o seu carro não é 4×4 e não quer arriscar existe um caminho alternativo, você deve seguir a estrada até encontrar um ponto de ônibus e uma entrada antes do ponto a direita, esse caminho é mais longo porém você não enfrenta subidas tão fortes (lembrando que esse caminho também é difícil em épocas de chuva).

Veja também:

As 10 montanhas mais altas do Brasil

Montanhas e Travessias na Serra da Mantiqueira.

1° dia da  Travessia Marins Itaguaré (Acampamento base x Pico dos Marins)

(Parte em cópia da página do Pico dos Marins)

Saindo do acampamento base do Pico dos Marins você deve voltar a porteira e seguir a estrada para direita subindo, essa caminhada é feita por estrada de terra semi batida durante os primeiros minutos, no final de uma subida você encontra uma bifurcação a esquerda, tanto faz as duas opções chegarão no Morro do Careca que é o inicio da trilha oficial do Pico dos Marins.

O Morro do Careca possui um platô aberto que oferece um belo visual para o conjunto montanhoso do Pico dos Marins.

Travessia Marins Itaguaré - Subida do Marins

Travessia Marins Itaguaré – Subida do Marins

Para continuar a trilha saindo do Cume do Morro do Careca você deve seguir para a direita sentido a mata, entre na bifurcação a direita até encontrar uma clareira onde tem a placa do inicio da trilha do Pico dos Marins.(ótima área de camping).

Na clareira você encontra a placa que indica o início da trilha do Pico dos Marins e a esquerda possui único ponto de água potável de toda subida.

A subida começa pela trilha no meio do mata, mas em poucos minutos ela se abre para um solo rochoso tradicional das montanhas brasileiras.

A 1° subida é uma das mais ingrimes de todo o trajeto e não possui muitos totens demarcando pois não existe a necessidade dos mesmos.

Chegando no fim da 1° subida você deve seguir a navegação orientando-se através dos totens e setas amarelas (dizem que existem totens e setas amarelas erradas, porém das 3 vezes que passamos por ali os mesmos estavam corretos, apesar de termos tomado um perdido uma vez).

Travessia Marins Itaguaré - Base do Marins

Travessia Marins Itaguaré – Base do Marins

A parte mais louca de toda a subida é um pouco antes da base do Pico dos Marins no trecho mais vertical da subida que você pode usar o auxilio de cordas fixas do local ou escalaminhar pelo seu lado direito.

Depois desse trecho continue a orientação pelos totens e marcações até encontrar o famoso ponto de água poluída com coliformes fecais (bosta de animal), para os mais acostumados creio que não há problema algum em tomar essa água, mas ai o risco é seu!

Chegando no pé do Pico dos Marins você tem a opção de seguir uma trilha para esquerda (Travessia Marins Itaguaré) ou subir no real cume do Pico dos Marins.

A subida é um pouco técnica para quem esta começando e se sua cargueira estiver muito pesada pode ter grandes dificuldades para acampar no cume, suba com cuidado e não se arrisque, siga os totens e marcações para não ficar preso em algum trecho.

Após essa subida você só deve caminhar até a pedra mais alta e conquistar o cume do Pico dos Marins.

Total percorrido: 9 km

2° dia da Travessia Marins Itaguaré (Pico dos Marins x Pedra Redonda)

Travessia Marins Itaguaré - Nascer do Sol

Travessia Marins Itaguaré – Nascer do Sol

Acorde e veja o nascer do sol!

Placa - Travessia Marins Itaguaré

Placa – Travessia Marins Itaguaré

Após o nascer do sol volte para a base do Pico dos Marins até a área de camping e procure uma bifurcação para a direita (de quem desce o Marins) sentido Pico do Marinzinho, se o clima tiver aberto você verá o Marinzinho de longe, procure uma trilha pouco batida sentido ao cume desse pico.

Sobe, sobe, sobe e sobe até chegar no cume do Pico do Marinzinho onde começa uma descida ingrime. Na descida você encontra um trecho de corda (tem uma corda fixa lá) fique bem atento neste trecho é o trecho mais técnico de toda travessia.

A travessia segue durante muitos sobes e desces e em um trecho existe até uma placa indicando o caminho certo da Travessia Marins Itaguaré.

Uma subida antes do Pico do Itaguaré é o Pico da Pedra Redonda que é marcado pelo seu formato redondo (dã!)

Você pode acampar aqui ou seguir por mais aproximadamente 1 hora e meia até a próxima área de camping.

Total percorrido: 10 km

3° dia da Travessia Marins Itaguaré (Pedra Redonda x Pico do Itaguaré x Resgate)

Visual na Travessia Marins Itaguaré

Visual na Travessia Marins Itaguaré

Acorde cedo para ver o nascer do sol!

Este é um dos dias mais cansativos da travessia, você deve seguir por aproximadamente 3 a 6 horas até o Pico do Itaguaré.

Na trilha para o Pico do Itaguaré fique atento com as bifurcações erradas criadas por quem pega o caminho errado, fique atento nos totens para orientação. (Se o tempo estiver bom você consegue ver o Pico do Itaguaré durante toda travessia.

Travessia Marins Itaguaré - Caminho do Pico do Itaguaré

Travessia Marins Itaguaré – Caminho do Pico do Itaguaré

A uns 3 km da base do Pico do Itaguaré existe um ponto de água, porém este ponto não é 100% confiável pois na época de seca ele não existe e no último quilômetro para chegar no Pico do Itaguaré existe um ponto de água (único potável desde o Morro do Careca).

Chegando a base do Pico do Itaguaré existe uma ótima área de camping, você pode esconder suas cargueiras e atacar o cume.

Para chegar no cume do Pico do Itaguaré você precisa dar um salto de um rocha para outra, tome cuidado se você cair é morte certa!

Do Pico do Itaguaré até o resgate são aproximadamente 1 hora e 30 minutos.

A descida segue do lado de um riachinho da base do Itaguaré, cruze-o e siga um caminho entre dois morros rochosos até uma outra ára de camping, siga pela esquerda do morro. No topo existe uma bifurcação a esquerda, siga reto e em instantes você pega uma forte descida sendo a mata mais fechada (com trilha batia) neste trecho é só caminhar descendo pela trilha única e bem batida até no final você cruzar um riacho algumas vezes, chegar a beira da estrada onde é o ponto de resgate.

Total percorrido: 6 km

Nível de Dificuldade

A Travessia Marins Itaguaré é uma das travessias de montanhas mais puxadas do estado de SP por conta do desnível e por existir poucos pontos de água durante o 1° até o 3° dia. E a navegação é sempre complicada devido a mata alta e se a neblina não colaborar a navegação fica muito mais difícil.

Atrativos próximos da Travessia Marins Itaguaré

Os principais atrativos da travessia Marins Itaguaré são os: Pico dos Marins e Pico do Itaguaré porém próximo a eles existem outros picos como por exemplo:Pico das Agulhas Negras, Pedra da Mina, Pico dos Três Estados, Alto do Capim Amarelo, Morro do TartarugãoPico das Prateleiras, Morro do Couto, Pedra do Sino do Itatiaia entre outros picos, além das travessias Serra Fina, Travessia Marins Itaguaré e Travessia Morro do Couto x Pico das Prateleiras.

Cuidados na Travessia Marins Itaguaré

  • Se você não estiver bem preparado fisicamente não faça essa trilha
  • Se não sentir confiança procure um guia local
  • Atenção redobrada para navegar com neblina, você não precisa varar mato em nenhum momento, então sempre fique na trilha
  • Em caso de chuva e relâmpagos o recomendado é abortar a subida
  • Como em todo lugar existem animais peçonhentos
  • Não tenha pressa, se machucar em um lugar desse pode dar um trabalho e tanto
  • Leve todo equipamento necessário para combater o frio pois durante a travessia a temperatura pode ser negativa.

Segue um link se você quiser saber mais de Perigos na Trilha.

Nascer do Sol na Travessia Marins Itaguaré

Nascer do Sol na Travessia Marins Itaguaré

Dicas para fazer a Travessia Marins Itaguaré

Nascer do Sol na Travessia Marins Itaguaré

Nascer do Sol na Travessia Marins Itaguaré

  • Pontos de água: Existem 3 pontos de água fixos durante o ano todo, um deles é no Morro do Careca, Base do Marins (água não potável) e água na base do Itaguaré, se você optar por não pegar a água não potável você deve levar pelo menos 8 litros do Morro do Careca
  • Se pegar água não potável leve o cloril ou outro purificador para tentar evitar as diarréias
  • As melhores áreas de camping ficam no acampamento base do Pico dos Marins (muitas e muitas barracas), no Morro do Careca (aproximadamente 8 barracas), na base do Pico dos Marins (15 barracas – Separadas) e no cume do Pico dos Marins (aproximadamente 6 barracas), Camping antes da Pedra Redonda (Até 8 barracas), Camping na base do Pico do Itaguaré (até 10 barracas) essas são as áreas de campins mais famosas porém durante o trajeto em caso de emergência existem outras áreas de camping que cabem um número menor de barracas
  • Se você for fora de temporada ou no comecinho do inverno você pode pegar a trilha bem fechada, a dica para os iniciantes é esperar um feriado ou vá para travessia uns 2 meses depois do inicio do inverno, pois a trilha fica mais batida e marcada por conta dos montanhistas mais experientes
  • Se a neblina baixar o risco de se perder fica 100% maior, não vare mato ou abra trilhas, procure sempre a mais batida e se oriente pelos totens
  • A travessia é repleta de Capim Elefante e eles cortam muito, tente caminhar com 100% do corpo coberto
  • No trecho Pico dos Marins x Pico do Itaguaré existe alguns pontos de água, porém eles não estão cheios durante o ano todo então não conte com essa água
  • Suba o mais leve possível
  • Se a noite o céu estiver aberto, durma fora da barraca
  • Tente começar a subida cedo para pegar o Pôr do Sol
  • Acorde cedo para ver o Nascer do Sol

Contatos de Resgate – Milton

  • Resgate da volta Van – R$ 200,00 para 7 pessoas (Preço pode mudar)
  • Facebook do Milton: www.facebook.com/milton.gouveafranco
  • Telefones: (11) 99770 1991 (Vivo) e (12) 9773 5366 (Vivo)
  • E-mail: milton.gouveafranco@facebook.com

Obrigações com o Meio Ambiente na Travessia Marins Itaguaré

  • Leve seu lixo
  • Recolha lixo se for possível
  • Não use drogas ou bebidas alcoólicas para diminuir o risco de acidentes
  • Faça suas necessidades no mínimo 50 metros de distância de rios e nascentes

Se alguém tiver alguma informação a agregar, ou correção, estamos abertos a sugestões.

Curta nossa página no Facebook e coloque para receber todas notificações para não perder nenhuma notícia de atrativos naturais maravilhosos em todo o Brasil.

Bora se divertir!

Largamos tudo e estamos viajando o mundo de bicicleta cadastrando mais atrativos naturais com todas informações necessárias para facilitar sua trip! Apoie nosso projeto fazendo uma doação de qualquer valor!


Autor: Raphael Yamamoto
Posts escritos: 261

Raphael Yamamoto, apaixonado pela natureza, nascido em outubro de 1989, solteiro, vegetariano e profissional de marketing digital. - Meu maior sonho pessoal. Cair no mundão com meus irmãos do Cocô no Mato! - E o meu maior sonho para o mundo é tentar mostrar com esse blog uma vida diferente, idéias diferentes, valores diferentes dos atuais que esse sistema FD* implanta, fazendo nossas vidas uma obrigação atrás de outra e no final não vivemos, apenas sobrevivemos! PENSE PRA FORA DA CAXOLA GALERA, não deixe que o sistema implante vontades, valores, missões, modas entre outras coisas lixo em sua vida, isso só é benéfico para ele. LIBERDADE, FELICIDADE, AMOR E JUSTIÇA!

Compartilhe este post no

Enviar Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *