Generic selectors
Resultados exatos
Buscar em títulos
Buscar no conteúdo
Filtrar por categorias
+ Natureza
Abandonados
Banner
Cachoeiras
Cachoeiras em Baependi
Cachoeiras em Biritiba Mirim
Cachoeiras em Boiçucanga
Cachoeiras em Bueno Brandão
Cachoeiras em Cubatão
Cachoeiras em Ilha Grande
Cachoeiras em IlhaBela
Cachoeiras em Joanópolis
Cachoeiras em Maromba
Cachoeiras em MG
Cachoeiras em Mogi das Cruzes
Cachoeiras em Paranapiacaba
Cachoeiras em Petrópolis
Cachoeiras em Prudentópolis
Cachoeiras em São Bernardo
Cachoeiras em São José do Barreiro
Cachoeiras em São Sebastião
Cachoeiras em São Thomé das Letras
Cachoeiras em SP
Cachoeiras em Tabuleiro
Cachoeiras em Visconde de Mauá
Cachoeiras em Votorantim
Cachoeiras na Bahia
Cachoeiras na Chapada Diamantina
Cachoeiras no Alto Caparaó
Cachoeiras no Espírito Santo
Cachoeiras no Paraná
Cachoeiras no Rio de Janeiro
Camping
Campings em Bertioga
Cata Lixo
Cavernas
Curiosidades
Dicas
Doação de Sangue
Economizar para viajar!
Entretenimento
Equipamentos
Fazendo o Bem
Grutas em São Sebastião
Grutas em São Thomé das Letras
Grutas na Chapada Diamantina
Iniciantes
Legais
Livros
Mergulho Livre
Montanhas
Montanhas em Aiuruoca
Montanhas em Atibaia
Montanhas em Baependi
Montanhas em Biritiba Mirim
Montanhas em Cunha
Montanhas em Espirito Santo
Montanhas em Extrema
Montanhas em Guarulhos
Montanhas em Ilhabela
Montanhas em Mairiporã
Montanhas em Minas Gerais
Montanhas em Mogi das Cruzes
Montanhas em Monte Verde
Montanhas em Passa Quatro
Montanhas em Petrópolis
Montanhas em Piquete
Montanhas em São Bento do Sapucaí
Montanhas em São José do Barreiro
Montanhas em São Paulo
Montanhas em São Thomé das Letras
Montanhas em Ubatuba
Montanhas em Visconde de Mauá
Montanhas na Bahia
Montanhas na Chapada Diamantina
Montanhas na Cidade de São Paulo
Montanhas na Lapinha da Serra
Montanhas no Alto Caparaó
Montanhas no Itatiaia
Montanhas no Rio de Janeiro
Outros
Paranapiacaba
Pedal
Plaquinhas do Bem
Poços Cristalinos
Praias
Praias em Bertioga
Praias em Ilha Grande
Praias em IlhaBela
Praias em Peruíbe
Praias em São Paulo
Praias em São Sebastião
Praias em Ubatuba
Praias no Guarujá
Praias no Rio de Janeiro
Queluz
Relatos
Roteiros
Segurança
Sustentabilidade
Travessias
Travessias em Cubatão
Travessias em Minas Gerais
Travessias em Mogi das Cruzes
Travessias em Paranapiacaba
Travessias em Passa Quatro
Travessias em Petrópolis
Travessias em São Bernardo
Travessias em São José do Barreiro
Travessias em SP
Travessias em Teresópolis
Travessias no Rio de Janeiro
Trilhas
Trilhas em SP

Travessia do Vale do Éden

Travessia do Vale do Éden foi realizada entre a Cachoeira da Lagoa Azul no município de Cubatão até São Bernardo do Campo, cidade localizada no ABC da Grande São Paulo.

Veja os vídeos da Travessia do Vale do Éden

Pedimos desculpas pela baixa resolução, foi nossa primeira gravação com a Sony Action e a tela ficou embassada em alguns vídeos.

 

Travessia do Vale do Éden

Travessia do Vale do Éden

 Relato da Travessia do Vale do Éden

Esta travessia ocorreu no final de semana do dia 18-10-14 e 19-10-2014 em comemoração ao aniversário do nosso querido amigo Raphael Yamamoto,

Travessia do Vale do Éden - Galera na Cachoeira do Paraíso

Travessia do Vale do Éden – Galera na Cachoeira do Paraíso

e pior que na Travessia da Torre que tivemos contato ao menos com um grupo que havia feito a travessia, nesta não tínhamos informação alguma sobre seu trajeto e  o que encontraríamos após a belíssima Lagoa Azul em Cubatão, mesmo assim, inicialmente, por ser uma data comemorativa estávamos com um time relativamente grande de 11 pessoas.

Nos encontramos no terminal rodoviário do Jabaquara as 07 horas da manhã e como chegamos em cima da hora do ônibus tivemos de esperar o próximo, das 08 da manhã, o que ajudou 2 integrantes do time a não ficar para trás, pois estavam atrasado. Fomos a uma padaria tomar  café e só ai eu (Baiões) e o Japa tocamos no assunto de que talvez a travessia talvez não fosse tão fácil apesar de curta, pois pelo gps da Lagoa Azul até a portaria do Parque Estadual da Serra do Mar em São Bernardo do Campo, estimava-se cerca de 3,5, lembrando que isso em uma reta é pouco, mas dentro da Serra em meio a Mata Atlântica, numa mata praticamente virgem e com altíssimos morros esses 3,5 podiam transformar-se em muito mais KM, mas naquele momento nada estragaria nosso dia nem nossos planos, pois sabíamos que nossos primeiros destino seriam somente diversão (Cachoeira do Paraíso e Lagoa Azul) para uns trip já conhecida, para mim e outros novidade total exceto pelo fato de ja termos visto fotos e ter muita vontade de conhecer o lugar.

Quer ver mais travessias e Relatos? Veja na categoria Travessias e Relatos.

No ônibus muitas risadas, brincadeiras e cia, descemos no KM 53 da rodovia Anchieta, fomos primeiro para a Cachoeira do Paraíso, trilha simples e tranquila, mas com uma surpresa exuberante, com uma cachoeira lindíssima e um poço que faz jus a cachoeira, dividimos espaço com um grupo que já estava lá quando chegamos, vários “tchibuns” vaaaaarios, mergulhos, fotos, lanches, banhos de cachu e tudo isso de novo em nova ordem, ficamos ali por um tempinho e voltamos para a trilha, da Cachoeira do Paraíso tem uma trilha que leva para a Cachoeira da Lagoa Azul, porém optamos por voltar a estrada e pegar a trilha tradicional, porém uma de nossas amigas foi por essa outra trilha e chegou bem ..rs…mas comentou que tem uma subida bem forte. A trilha da Lagoa Azul também não é perigosa e sem riscos de perder-se porém uma caminhadinha de média dificuldade, por trata-se de uma subida bem cansativa, nosso amigo Medina estava com o tornozelo machucado, e já mostrava desinteresse em completar a travessia devido a dor no pé e por não querer atrasar a subida. Chegamos a um poço lindo logo abaixo da Lagoa Azul, este com uma pequena queda, com profundidade média possibilitava pular do alto de uma pedra com uns 8 metros de altura, e permitia para quem só queira tirar um lazer, ficar de boa boiando, nadando e trocando ideia, ali ficamos outra cotinha entre brincadeiras, fotos, risadas e lanchinho.  Deste ponto a Lagoa Azul não passavam de 15 minutos e sem dificuldade alguma. Quando chegamos a Lagoa Azul para os que já a conheciam foram praticamente direto para água o Guedes foi direto para a pedra usada para pular, particularmente um pulo q assusta um pouco, com uns 15 metros de altura e um barulho estrondante quando chega a água, apesar dos lanches e tal estavam todos com vontade de comer algo mais forte, o escalado para tal feito foi nosso outro amigo Renan Prado, com ajuda do Medina e seu amigo e agora nosso amigo também Henrique vulgo “Besterinha”kkk .fizeram o almoço, como a maioria do pessoal são vegetarianos Eu e o Parmeja acabamos aderindo a alimentação deles para não sermos obrigados a cozinhar, com isso comemos um macarrão com legumes e um arroz que estava incrivelmente sem gosto kkk , mas sem direito de  reclamar comi. Já eram quase 16h quando todos tinham almoçado e começamos a nos preocupar se continuaríamos ou não, algumas pessoas já haviam se posicionado dizendo que não continuariam por motivos diversos e para curtir a noite com a galera o Japa sugeriu passarmos a noite ali todos juntos e pela manhã o time se dividiria em quem iria e quem ficaria. Sendo assim fomos todos caçar onde dormir, pois apesar de ser linda a Lagoa Azul e sua Cachoeira o local não é muito favorável para acampamento, cheio de pedras por toda parte e ainda estávamos cabreiros de acampar pois numa trip anterior o Japa foi aconselhado a não fazer isso, fora os “boatos” de tiros pelo local e cia, porém nos arriscamos e que fique claro que não aconselhamos a ninguém fazer isso, especialmente se estiver em poucas pessoas, mas voltando ao assunto. O FDP do Japa escolheu ficar na “Pedra do pulo”, contra minha vontade pois eu achava que todos deviam ficar juntos, porém como o castigo vem a cavalo ele não conseguiu dormir bem e 3h da manha estava procurando pasta de dente..kkkkkkkkkk… Em primeiro momento eu iria bivacar, arrumei lugar, ajeitei lona, saco de dormir e cia, mas o lugar abençoado para ter aranhas e comecei a ficar preocupado, meu parça, amigo e agora Lanchinho (Parmeja) arrumou sem dúvida o melhor lugar para montar a barraca e como não sou besta fui ajuda-lo e me engrupi junto a ele outro que ia bivacar também era o Xazan e provavelmente pelos mesmos motivos que eu decidiu dormir na barraca com o Prado e o Henrique e assim o pessoal se preparou por onde deu.

Travessia do Vale do Éden - Cachoeira do Paraíso

Travessia do Vale do Éden – Cachoeira do Paraíso

Travessia do Vale do Éden - Cachoeira da Lagoa Azul

Travessia do Vale do Éden – Cachoeira da Lagoa Azul

Travessia do Vale do Éden - Cachoeira do Rio das Pedras

Travessia do Vale do Éden – Cachoeira do Rio das Pedras

Quando anoiteceu todos já tinham onde dormir, nos juntamos e ficamos conversando de assuntos diversos, o Japa como já disse é um FDP e não fez a janta e ela ficou para nosso amigo Xazan fazer, ficou top Yakissoba e Duelo rs… Após a Janta ainda conversamos, demos muitas risadas, tinha gente apavorada com bichos especialmente depois do aparecimento do rato gigante kkk  até q cada um foi pra seu canto e a noite ficou em paz até as 3 horas da manhã quando aguem saiu de seu alojamento gritando que queria pasta de dente…kkk…fdp…Quando amanheceu a manha estava ótima, fresca, tiramos algumas fotos da cachu em sua paz de dentro da barraca, levantei e me encarreguei de chamar um por um em suas barracas e rede. Finalmente o Japa fez alguma coisa e se encarregou de fazer Tapioca para todos, alguns já foram arrumando suas coisas eu e outros fomos dar uns “Tchibuns” de despedida. Após o café vimos quem iria descer e quem iria subir, foi triste o time se dividir porém decisivo para conseguirmos completar a travessia, pois deixamos mais da metade de nossas coisas com o pessoal que voltou e deixamos nossas cargueiras levíssimas em comparação ao que estava.

Eu (Baiões), Japa (Raphael Yamamoto), Renan Prado, Xazan e Parmeja (Felipe), fomos quem continuou a empreitada, eu particularmente subi sem muita esperança de ver coisas maravilhosas, porque de acordo com o gps faltava pouco caminho e além do mais não acreditava que pudessem existir muita coisa nesse trajeto em especifico, e outras pessoas que diziam ter subido nos desanimou dizendo que não tinha nada, duas coisas aconteceram, 1 eu estava errado e o caminho era espetacular e 2 descobrimos alguns mentirosos kkkkk.

Travessia do Vale do Éden - Cachoeira do Tibum

Travessia do Vale do Éden – Cachoeira do Tibum

Iniciamos o vara mato pelo lado esquerdo da Cachoeira da Lagoa Azul, uma subidinha feroz, subimos, subimos e subimos até que avistamos que já estávamos na parte de cima da Cachoeira da Lagoa Azul e voltamos a descer, quando chegamos a cabeceira ainda era possível escutar o pessoal que ficou trocando gritos com eles rs…tiramos umas fotinhos e uns 10 metros a frente a primeira surpresa um pequeno poço para nos refrescar com uma cachuzinha bem formosa, ali já tínhamos em mente que já teria valido a pena a caminha porque o lugar era inundado de paz, pois bem. nos refrescamos ali, porque já estávamos derretendo de calor, nem tanto porque p sol estava rachando, mas porque as subidas eram verdadeiramente exaustivas e um vara mato forte, cortamos novamente pelo lado esquerdo e que surpresa maravilhosa nem 20 metros de subida já saímos num poço relativamente grande, água transparente e para completar a beleza do lugar uma cobra, preta de um pouco mais de um metro tomando banho de sol, nosso genial amigo Renan Prado, chegou perto demais com a câmera e assustou a cobra que descontou o susto vindo para cima de nós, numa velocidade incrível, dei um pulo digno de ouro num salto com obstáculos, pois bem passado o susto, mais “tchibuns”, agradecendo a vida e ao dia por serem tão maravilhosos com a gente, debaixo da quedinha desse poço foi que desejei feliz aniversário ao meu amigo irmão Raphael Yamamoto, por achar que era um momento propício a isso, melações de lado, bora subir???

Travessia do Vale do Éden - Cachoeira da Chuva

Travessia do Vale do Éden – Cachoeira da Chuva

Subimos pelo lado direito desta cachuzinha, um pouco escorregadio e tal, 5 minutos de escalaminhada e mais 5 minutinhos de vara mato para uma das melhores surpresas que poderia nos acontecer, uma Cachoeira espetacular, com um posso maravilhoso, água limpa e cristalina, num vale maravilhoso, nos permitimos batizar esta cachoeira de “Cachoeira da Chuva” pois sua queda se forma por milhares de gotas de água que caem incessantemente, que chega a arder direto na pele pela força e por trata-se de pingos. Varias fotos “tchibuns” e ficamos pensando por onde passar, pelo lado esquerdo da cachu dava impressão de ser possível subir escalando as pedras, Renan Prado como tem mais facilidade para este tipo de escalada, tentou procurar um caminho possível, porém não conseguiu pois faltavam “agarras” para as mãos e ainda nos deu um baita susto escorregando e quase caindo cachoeira abaixo, vendo que não seria possível cortar pela cachu, fomos pra vara mato novamente, desta vez pela direita, ainda tentamos escalar o paredão ao lado da “Cachoeira da Chuva” mas que não foi possível pelo mesmo motivo anterior, falta de lugar para segurar, e voltamos a varar mato, desta vez fui um pouco a frente sendo seguido pelo Parmeja e tivemos que ir subindo sentido o lado direito por que era impossível pelo esquerdo apesar deste ser o nosso objetivo, até que chegamos num ponto que nos permitiria subir “reto”, com algumas árvores caídas e raízes fortes, fomos quase que escalando pela terra, sempre subindo, até que conseguimos subir até um ponto que nos permitia ir beirando a esquerda desta vez, e assim fizemos, até que chegamos num ponto que a floresta voltou a ficar mais aberta e conseguimos andar com mais facilidade, mas sempre s segurando porque estávamos praticamente no cume do morro, assim que avistamos vestígios de água começamos a descer e descemos, sem dificuldade alguma apenas tomando cuidado, levamos mais de 15 minutos pra descer tudo o que tínhamos subido, varando mato, procurando caminho e tal, estávamos exaustos com sede e calor, muito calor, já tínhamos ficado quase 2 horas, andando direto pelo mato e sem ter noção exata de onde estávamos. Quando terminamos de descer chegamos num pocinho com uma cachuzinha que foi o suficiente para gente se refrescar e hidratar, o espertão do Japa quando viu o poço pulou de uma vez com a pochete (sim, ele usa pochete) fora a carteira, ele estava com o celular e a maquina fotográfica que o mesmo aderiu a menos de um mês dentro da mesma, mas acho que estão funcionando ainda,   voltamos um pouco por dentro dela até chegar a cabeceira da “Cachoeira da Chuva”, refrescados e descansados, fomos subir, Xazan subiu primeiro pelas pedras, porém nao dava pra passar com as cargueiras por ela, então jogamos uma corda para ele e  ele puxou todas as cargueiras até ele, quando todos nós subimos, nem 5 minutos dali chegamos ao ponto G da travessia, ao um dos lugares mais lindos e exuberantes da Serra do Mar, no poço que até o momento é o mais lindo que conhecemos na região e estará sempre com toda certeza entre os TOP 10, dos poços para “tchibuns” e para admirar. Ali chegamos ao êxtase total, ficamos bastante tempo ali, tomando banho, trocando ideia, indo e voltando da cachu, pulando da pedra para dentro do poço, fizemos nossa pausa para o lanche ali, e só lamentávamos por ter que ir embora porque daria pra ficar ali, um fim de semana inteiro sem se entendiar, tentamos traçar um caminho mental para voltar lá e torcendo para arrumarmos um bom caminho de São Bernardo até ele, ficamos impressionantemente maravilhados com aquele ponto, que deu origem ao nome da Travessia “Vale do Éden”.

Travessia do Vale do Éden - Cachoeira da Lagoa Verde

Travessia do Vale do Éden – Cachoeira da Lagoa Verde

Travessia do Vale do Éden - Cachoeira da Chuva

Travessia do Vale do Éden – Cachoeira da Chuva

Para infelizmente irmos embora optamos pelo lado esquerdo desta vez, e fomos varando mato, quase que em linha reta, com uma pequena ida para a esquerda num ponto da subida e voltando a direita assim que percebemos ter subido toda a cachoeira, chegamos a tirar as cordas das bolsas, acreditando piamente que as utilizaríamos, até me animei porque minha corda ta novinha a 3 travessias, mas foi so intenção mesmo e para tirar a super enrolação da minha corda e deixar ela solta, porque não usamos. Quando terminamos de descer e  chegamos ao rio que daria origem a cabeceira da cachu voltamos um pouco por ele para tentar chegar a sua ponta, o Japa levou um susto quase caindo e pediu para que não nos arriscássemos, poque seria “game over” cair dali, no rio tinha uma cascatinha e aproveitamos ali, inconscientemente todos já sabiam que não teríamos mais nenhum poço top dali pra frente e nem cascatas, tomamos banho, água e voltamos a subir, passamos por um lugar que com certeza foi uma cachoeira e das bem fortes, mas que estava praticamente seca, arvores caídas no local acusavam que aquele rio era grande e forte, mas que a algum tempo não passava mais água por ali, conforme fomos subindo começamos a perceber alguns lixos, o que até aquele momento não existia, chegamos a pensar que estaríamos, próximos de algum lugar utilizado por pessoas (mesmo que porcas), chegamos a uma tubulação enorme e que com certeza estava por ali por muitas décadas, mas em volta dela tinha garrafa, embalagens e cia, e começamos a ouvir sons de carro, só bastava descobrir onde íamos sair. O Japa foi o primeiro  a dizer Chegamos em algum lugar, até que subimos todos e pulamos uma mureta, caímos no meio do Parque Estadual da Serra do Mar a mais um menos meio KM da Casa de Pedra, alertamos que a visitação ao Parque é monitorada, com números exatos para visitantes e cia, acidentalmente caímos lá, tínhamos como objetivo sair direto em frente a ele ou ao menos na trilha utilizada para chegar a Cachoeira da Torre, na Casa de Pedra explicamos a um fiscal o que tinha acontecido e ele nos aconselhou a voltar de onde viemos ou achar logo uma trilha para não sermos multados ou presos, numa empreitada anterior naquela região eu conhecia uma trilha que dava no estacionamento do Parque no entanto como estávamos no meio da Estrada Velha, não sabia se era subindo ou descendo a estrada esta trilha, mas optamos por descer, devido o receio de sermos pegos subindo, felizmente estava certo o caminho e a uns 3KM de onde saímos, chegamos as ruas e escadarias de paralelepípedos que eu conhecia, dali pra frente só subida até a saída do Parque, quando chegamos onde esperávamos sair no inicio da trip dezenas de pessoas voltavam da Torre. Nos cumprimentamos, festejamos, estava começando a anoitecer, liguei para minha mulher que estava com meu cunhado para ver se ele nos daria carona, não consegui falar, liguei para um outro brother André que se prontificou a isso e depois meu cunhado também e com tanta sorte para caronas o André que acabou sendo escalado por estar mais perto. Sentados na estrada conversamos muito e ainda conseguimos secar cerca de meio litro de pinga artesanal, top, rs e quando o André chegou, trouxe uma brejas para finalizarmos nossa comemoração.

Quero agradecer a todo o time tanto os que completaram a travessia quanto aos que voltaram primeiramente porque os que voltaram garantiu nosso sucesso por ter levado boa parte de nosso peso, segundo por que foram responsáveis e companheiros por preocuparem-se em não aguentar a trip ou atrasar o restante, é por atitudes assim que sabemos que temos um grupo unido, que pensa no coletivo e acima de tudo sempre preocupados com o próprio bem estar e com o do grupo. Quero comemorar a primeira TRIP SEM CIGARRO Eu(Baiões) Raphael Yamamoto, Guedes e Thais, firmes e fortes para parar de fumar VLW galera sem vocês seria impossível parar.

Esperamos que o relato tenha ficado bom, se alguém decidir se aventurar lembre-se de levar sacolas para seus lixos e cordas para emergência, procurem um novo caminho para evitar problemas no Parque, porque infelizmente é proibido transitar por ele e caímos lá por engano. Cuidado com animais peçonhentos e com quedas e o mais importante PRESERVE A NATUREZA.

Outras Fotos do Role da Travessia do Vale do Éden

Travessia do Vale do Éden - Visão da Barraca

Travessia do Vale do Éden – Visão da Barraca

Travessia do Vale do Éden - Galera na Cachoeira da Chuva

Travessia do Vale do Éden – Galera na Cachoeira da Chuva

 

Travessia do Vale do Éden - Galera na Cachoeira do Paraíso

Travessia do Vale do Éden – Galera na Cachoeira do Paraíso

Curta nossa página no Facebook e vire nosso Fã para não perder nenhuma atualização.

Largamos tudo e estamos viajando o mundo de bicicleta cadastrando mais atrativos naturais com todas informações necessárias para facilitar sua trip! Apoie nosso projeto fazendo uma doação de qualquer valor!


Autor: thiago.baioes
Posts escritos: 27

Nome: Thiago Henrique Baiões idade: 29 anos Estado Civil: Solteiro Formação: Pedagogia/MBA Gestão estratégica de negócios/ Psicopedagogia Institucional e clínica Hobbies: Ler, Ouvir música, Assistir filmes e TRILHAR POR AI Paixão pela vida e pelas pessoas Frases que me inspiram: "Vivo a viver a vida no segundo e no instante eu prefiro ser esta metamorfose ambulante do que ter aquela velha opinião formada sobre tudo." Raul Seixas "Liberdade, uma palavra que o sonho humano alimenta que não há ninguém que explique e ninguém que não entenda." Cecilia Meireles

Compartilhe este post no

13 Comentários

  1. Muito loka esse cachoeira!!!

  2. Realmente é uma das cachoeiras mais belas que já vimos e escondido no meio da Serra do Mar de Cubatão, que é conhecida como uma cidade mega poluída.

    É só procurar que encontramos algumas maravilhas por ai!

    Um abraço!

  3. Nossa, fiquei morrendo de vontade de fazer essa trilha!! É muito difícil pra achar as cachoeiras, dps das duas primeiras? e “vara mato” significa que tem que abrir caminho no meio da mata? E mesmo assim dá pra achar as cachoeiras? Será que se tentar consigo refazer o percurso q vcs fizeram?

  4. Priscila bom dia e feliz natal rs, é o seguinte, acreditamos que qualquer pessoa que goste e queira realmente alguma coisa consiga fazer, porém é um local de mata extremamente fechada de muita subida e o caminho que fizemos nos deixou no meio da Estrada Velha de Santos a qual o acesso é proibido, se tivéssemos sido pegos poderíamos ter sido detidos e ainda pagar multa/fiança. Se fizer tem que estar em plena condições físicas pois é um caminho exaustivo, o vara mato é literalmente passar por ele, sem trilha sem visão e ir andando, com toda certeza o mesmo caminho exato vc não ira fazer mas pode ser que chegue as mesmas cachoeiras ou não e ter todo o cuidado do mundo para não perder-se ou acidentar-se pq como trata-se de mata fechada vc pode tomar um prejuízo enorme. Estávamos preparados para passar dias na mata caso desse algo errado. Não aconselhamos ninguém a fazer, mas também não podemos impedir, só pedimos para tomar os devidos cuidados consigo mesma e com a natureza a sua volta… Esperamos ter ajudado

  5. Fiz essa trilha a 16 anos atras começando pela casa de pedra a gente chego até a parte de cima da cachoeira do paraíso e voltamos o lugar é lindo.

  6. Da hora!

    A 16 anos atrás devia ser ainda mais lindo!

    Abração!

  7. Belo relato amigo.
    Vocês fizeram algum tracklog dessa travessia???
    Abs

  8. Fala Rodrigo tudo bem?

    Infelizmente não fizemos nenhum Track Log e esse role não tem trilha além de sair dentro de um parque estadual (não sabíamos na época) então por isso não podemos divulgar algumas informações.

    Abraços!

  9. legal o relato, mas vocês se enganaram em achar que do ponto em que pararam não haveria mais grandes cachoeiras.

  10. Essa travessia era muito conhecida entre os moradores da região do Grande ABC paulista (com mas de trinta anos) e era feita descendo, com o término na cabeceira da Cachoeira Paraíso. Porem, devido o fechamento do acesso de pedestres para o Pouso de Paranapiacaba (Casa de Pedra) em 1995, toda essa beleza natural caiu no esquecimento. O nome da descida era Trilha da Casa de Pedra ou Travessia Rio das Pedras.

  11. Fala Daniel Trovo beleza?

    Quando subimos a Paraíso não existia nenhum relato, foto, vídeo ou rastro desse passeio, por isso que para nós foi uma expedição e sem nenhuma informação do que encontraríamos pela frente, por isso para nós foi uma maravilhosa expedição e com isso trouxemos a tona com todas informações. Você foi com o Vgn Vagner nesse final de semana né?

    E onde estamos enganados? Tem foto das outras cachoeiras? Manda pra eu ver =)! Abraços!

  12. Caramba não fazíamos ideia! Vou ver com todos se podemos colocar Travessia do Vale do Éden ou Travessia do Rio das Pedras.

    Tem foto dela nas antigas?

    Abraços!

  13. Legal saber que o site está operando de novo, sempre indico para as pessoas que me perguntam sobre dicas de trilhas. Sobre a quantidade de quedas que existem nas cotas mais altas do Rio das Pedras, até hoje ainda não consegui mergulhar em todos os poços tamanha a quantidade. Só pra ter uma ideia, para quem inicia do Pouso de Paranapiacaba (no trecho alto do rio) existe a possibilidade de visitar cachoeiras descendo ou escolher continuar subindo sentido a barragem da usina (o Rio das Pedras é o ladrão da Usina). Nas duas opções existem várias cachoeiras. A ausência de relatos na internet (últimos 20 anos) se deve ao esquema de segurança do perímetro do rio . Ali tem seguranças da Usina, seguranças da Petrobras e seguranças do Parque Ecológico. Sobre as fotos de antes de 95, preciso fazer uma busca na vizinhança para conseguir algo. Sei que existem muitas fotos com conhecidos pois ali era mais movimentado que a cachoeira da Fumaça de Paranapiacaba. (segue algum de abril de 2014 com algumas cachoeiras próximas a Casa de Pedra) https://www.facebook.com/daniel.trovo.7/media_set?set=a.477665965696262.1073741856.100003585878541&type=3

Enviar Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *